Na última sessão plenária da Câmara, realizada na terça-feira, 1º, o vereador Arão Marizê (PMN) fez graves denúncias de que o deputado e médico oftalmologista Antônio de Pádua Ferreira Barros (PP) extorque pacientes com problemas visuais quando faz suas consultas pelo interior do Maranhão.

O parlamentar se referiu ao caso particular de Formosa da Serra Negra que realizou a última campanha de catarata do Governo do Maranhão, cujo médico licitado é o deputado e médico Antônio de Pádua. De acordo com Arão, duas vans cheias de idosos se deslocaram para aquele município com o objetivo de fazer consulta e cirurgias, mas foi cobrado além dos 26 de passagens (ida e volta), outro valor extra de 50 reais por cada paciente. “Eu acho um absurdo tirar das pessoas que saem daqui com problemas de saúde, numa distância dessas”, afirmou.

Nos deslocamentos de pacientes de Grajaú para Imperatriz, segundo o vereador, o aproveitamento se repete. “Nessa mediação feita em Imperatriz, eles cobram óculos, revisão de retina, e o valor vai de 1.500 a 1.800 reais a mais e a pessoa se vê ameaçada e na obrigação de pagar. Eles dizem aos pacientes que se não o fizer irão perder a visão. Vocês que são da base do governo: Telmiston, Zé Leão, presidente Marinaldo, líder do governo Marcio Rolins; sugiram ao prefeito Otsuka que para essas avaliações e revisões, tenha um especialista antes de passar pelas mãos desse criminoso de Imperatriz”, afirmou.

Arão disse também que no ano passado, de 18 casos que foram encaminhados para o Dr. Pádua, somente dois eram necessários fazer a revisão no valor de 800 a 900 reais, fato que ele voltou a denunciar. “Quer dizer, estão roubando os pobres coitados do nosso município”. O parlamentar ainda denunciou o deputado de fazer campanha eleitoral antecipada.

“Eu já disse nessa casa que esse deputado está se promovendo de maneira antecipada, prega por aí que é bonzinho, que está agradecendo aos votos que recebeu e isso é mentira. Esse deputado está captando votos e não podemos permitir isso porque ele se aproveita da inocência dessas pessoas”, finalizou.

Zé Leão (PPS) apoiou as colocações do colega. “Nosso povo está sendo lesado. Teve gente que saiu daqui da cidade de Grajaú e chegou a gastar 1.200 a 1.300 reais e foi importante você (Arão) ter falado para que o povo de Grajaú veja o que está fazendo e peço que o prefeito veja a situação para que essas cirurgias sejam feitas em nossa cidade, para não acontecer o roubo e assalto a mão armada que teve na cidade de Formosa da Serra Negra”.

Entrevistado, Albertinho da Saúde (DEM) explicou que os idosos foram deslocados para Formosa porque Grajaú faz parte da regional de Barra do Corda e que já teve a campanha por aqui onde foram contemplados 182 pessoas. Formosa foi o próximo município que recebeu a campanha, mas pela regional de Balsas e por isso as cirurgias e consultas ocorreram lá.

Com relação à extorsão de pacientes, ele negou e pediu provas. “Esse caso da Formosa que o vereador Arão citou que deu tanto dinheiro, pedimos que ele nos traga alguma pessoa que pagou a cirurgia de catarata e comprove que estamos extorquindo o paciente porque alguém deve ter pago a cirurgia de pterígio e não de catarata que é de graça. Uma cirurgia de catarata custa entre 1.500 a 2 mil reais em um olho, imagina nos dois. Hoje o paciente só gasta com passagens, estadia e alimentação”.  Albertinho confirmou ainda que para a campanha naquele município foram levados 78 idosos de Grajaú.