Cuba enviou uma brigada com mais de 50 médicos à Itália, que foram recebidos no país com aplausos. A China enviou cerca de 20 especialistas em saúde e, o mais importante, algumas toneladas e insumos, incluindo mil respiradores artificiais. A Rússia também enviou insumos e um grupo de cientistas especializados para melhorar a estratégia de enfrentamento ao coronavírus, e também militares que estão atuando no trabalho de desinfecção dos grandes centros urbanos. E… espera aí, não tem alguma coisa errada? Onde estão os aliados tradicionais da Itália?

Talvez os italianos preferissem que o apoio viesse de aliados tradicionais, como os Estados Unidos e a União Europeia – bloco do qual ela faz parte, inclusive. Mas não tem sido assim. Os norte-americanos têm sido completamente omissos com relação ao drama da Itália ou de qualquer outro país. Já a União Europeia vem atuando apenas através de comunicados e estudos de medidas a respeito dos efeitos econômicos da pandemia.

Por isso, nas últimas semanas, o país mais afetado pelo coronavírus tem se agarrado mais à enorme ajuda de três desses países que a direita (brasileira e mundial) gosta de rotular como “comunistas” e mal intencionados.

Em entrevista ao meio russo RT, o diplomata Franco Frattini, ex-ministro de Relações Exteriores e atual representante do país na OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa), afirmou que a União Europeia deixou a Itália “praticamente sozinha” na luta contra o covid-19, e agradeceu a Rússia, China e Cuba por sua ajuda “incomparável” neste momento.

“Falando com franqueza, a União Europeia não está fazendo o suficiente. Em um primeiro momento, a Itália esteve praticamente sozinha lutando contra o vírus. Muitos disseram que a culpa era dos italianos e seus hábitos equivocados, que não respeitamos as regras de cuidado do vírus, e que eles não tinham nada a ver com isso. E, de repente, todos os demais países começaram a se ver igualmente afetados”, alegou Frattini.

Nas redes sociais, também é possível ver fenômenos semelhantes. Não são poucos os internautas italianos que reclamam da falta de solidariedade dos países que são os parceiros tradicionais do seu governo. “A Rússia enviou seu exército para ajudar a Itália. Onde está a OTAN? Cuba envió 53 médicos a Italia. Onde está a União Europeia? A China está enviando milhões de exames e toneladas de insumos. Onde estão os Estados Unidos e o Reino Unido? Só pregam união quando querem destruir um país e ficar com seus recursos naturais”, reclamou um usuário no Twitter, escrevendo em inglês.

“Cuba também está ajudando a Itália. Só o socialismo pode salvar a Itália. Onde está a União Europeia? Onde estão os Estados Unidos? Os países capitalistas estão ocupados saqueando insumos”, afirmou outro tuiteiro italiano.