Uma frente de libertação para as eleições municipais de outubro foi proposta em Imperatriz (MA) entre as siglas PT, PDT, PSB, PPS e PSDB, porém até o momento ninguém ainda se entendeu.

Isso porque depois do acordo firmado, duas pesquisas de voto indicaram o candidato Sebastião Madeira (PSDB), à frente de Jomar Fernandes (PT), o que fez o ex-prefeito virar as costas para a aliança. Quem não gostou da desavença foi Madeira que luta há oito anos para assumir a prefeitura do segundo maior município do estado. Jomar Fernandes já começou a se mobilizar em busca de Carlinhos Amorim (PSB), para ser seu vice numa chapa isolada.

A pesquisa que apontou Madeira à frente levou os candidatos a desencadear um novo estudo que deve sair ainda nesse fim de semana. Dessa vez realizado pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) – instituto que tem maior credibilidade.

Dois nomes fortes fazem parte da oposição: o atual prefeito Ildon Marques (PMDB) e o deputado estadual João Batista (PP), que até então tem sido considerado um fenômeno de votos na cidade. O presidente regional do PT, Domingos Dutra, avalia a desunião da frente de libertação como “uma dificuldade grande, inclusive com Jackson Lago na campanha”, explicou. “Com dois candidatos aliados concorrendo, o governador poderá não pedir votos nem a um e nem a outro. E deixarão o terreno livre para o grupo Sarney”, concluiu.