“Como é bom estar como vocês, neste meu primeiro encontro em Dom Pedro”, disse padre Costante, aos irmãos da Ordem Francisca Secular (OFS), durante a celebração do ‘Perdão de Assis’ na tarde de quinta-feira (02/08) na Igreja de São Francisco de Assis, no bairro Felipinho.

O padre e os irmãos da OFS relembram momentos da caminhada que vivenciaram juntos ao logo dos quase 30 anos na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré em Dom Pedro.

Veja fotos de Francisco Matias deste momento.

2 de agosto: dia do Perdão de Assis

Em 1216, São Francisco de Assis, vivendo uma noite em oração teve a visão de Nossa Senhora com Seu Filho Jesus. Nesta aparição lhe perguntaram o que ele gostaria de pedir-Lhes. São Francisco, então, responde: “Que todos quantos, arrependidos e devidamente confessados, vierem visitar esta ‘igrejinha’, possam receber a completa remissão de seus pecados”.

Jesus Lhe diz: “É grande o que me pedes; mas o concedo de bom grado. Sob a condição de que vás pedir tal indulgência ao meu vigário na terra, o Papa”.

Francisco vai ao encontro de Honório III, o Papa da época. E, apesar das hesitações da Cúria Romana, acabou por aprovar aquele inusitado pedido. Alguns dias depois, Francisco volta à Porciúncula e, com alegria, diz ao povo: “Irmãos, quero levar-vos todos para o Paraíso!”. Assim se instituiu o chamado Perdão de Assis.

Dia de lucrar Indulgência

A indulgência foi concedida a todos que visitassem a igrejinha (Porciúncula) e, depois, foi estendida a todos que fossem a uma Igreja Catedral ou Matriz Paroquial, se confessassem, participassem da Eucaristia e recitassem as orações (Credo, Pai-Nosso e Ave Maria) na intenção do Papa.

Comentários

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.