Créditos: Fotos Públicas

A presidente Dilma Rousseff (PT) disse nesta sexta-feira (20) que se casos suspeitos de corrupção na Petrobras tivessem sido investigados durante o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), do PSDB, já na década de 1990, o esquema descoberto pela operação Lava Jato que envolve a estatal não ocorreria.

“Se em 1996 e 1997 tivessem investigado e tivessem naquele momento punido, nós não teríamos o caso desse funcionário que ficou quase 20 anos praticando atos de corrupção. A impunidade leva a água para o moinho da corrupção”, disse Dilma após cerimônia no Palácio do Planalto.

Foi a primeira entrevista de Dilma em seu segundo mandato na Presidência. A presidente não dava declarações à imprensa desde dezembro de 2014.

Aécio Neves

“Dilma parece querer zombar da inteligência dos brasileiros ao atribuir o maior escândalo de corrupção a um governo de 15 anos atrás. Parece que ela volta a viver no mundo da fantasia”, disse o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em resposta às declarações de Dilma. “O PSDB não tem receio de que se investigue o que quer que seja.”

A presidente disse também que os esquemas de corrupção agora são investigados. “Hoje nós demos um passo e para esse passo devemos olhar e valorizar. Não tem ‘engavetador da República’, não tem controle da Polícia Federal, nós não nomeamos pessoas políticas para os cargos da Polícia Federal. E isso significa que o Ministério Público e a Justiça e todos os órgãos do Judiciário que o que está havendo no Brasil é o processo de investigação como nunca foi feito antes.”

A presidente também isentou as empresas dos “malfeitos” investigados pela Lava Jato, dizendo que eles foram cometidos por funcionários.