O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou, por 4 votos a 3, a candidatura de Jackson Lago (PDT) ao governo do Maranhão. A decisão foi tomada por uma questão técnica. Isso porque a Lei da Ficha Limpa diz que ficará inelegível aquele político que for condenado por consequência de “representação” eleitoral contra ele. Lago foi cassado pelo próprio TSE no ano passado, por abuso de poder político durante a campanha de 2006, mas fruto de um “recurso contra expedição de diploma”. Os ministros Hamilton Carvalhido, Arnaldo Versiani, Marcelo Ribeiro e Março Aurélio Mello entenderam que essa diferença técnica era suficiente para dizer que Lago não poderia ser barrado. Já os ministros Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Aldir Passarinho Júnior entendiam que “representação” é uma palavra utilizada de forma genérica para se referir a qualquer tipo de ação eleitoral. Informações: JusBrasilLeia mais em: http://grajaudefato.com.br