Na noite de ontem (4) no Senado Federal, o presidente da casa, Renan Calheiros e o senador e ex-candidato a presidente da República, Aécio Neves, protagonizaram um bate-boca e trocaram acusações em meio a escolha de cargos para a mesa diretora do Senado.

“Vossa excelência Renan Calheiros subverte a ordem natural das coisas; pergunta se o PSDB ainda mantem a sua indicação ao PSB, não, essas são as indicações naturais, com base na proporcionalidade, no respeito à população, à democracia interna. Vossa excelência será o presidente dos ilustres senadores que o apoiaram, mas vossa excelência perde a legitimidade para ser presidente dos partidos de oposição nesta casa”, disse Aécio a Calheiros, que rebateu: “é bom que isso esteja dito por vossa excelência, que foi candidato à presidência da República e tem dimensão do que é a democracia”.

O desabafo de Aécio se deu porque o PSBD fica de fora de cargos importantes da mesa diretora. Renan, por sua vez, se articula nos bastidores para lançar a candidatura do senador Vicentinho (PR-TO) como primeiro secretário, cargo que pela proporcionalidade deveria ser ocupado pelo PSDB.

Para se eleger presidente do Senado, Renan não contou com o apoio do PSDB na eleição do último domingo. Na ocasião, a bancada do PSDB apoiou o nome do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) derrotado por Renan que, por sua vez, considera que os tucanos também romperam com o acordo da proporcionalidade, uma vez que ele tinha sido escolhido pela maioria da bancada do PMDB para a presidência do Senado.