Na última quinta-feira (5) prazo para que os partidos políticos e
coligações apresentassem o requerimento de registro de candidatos a
prefeito, vice-prefeito e vereadores, a Coligação ‘Grajaú Feliz’ do
candidato a prefeito de Grajaú João Pedro Ferreira Neto, passou por
momentos infelizes.
A insatisfação se deu quando o representante da Coligação Francisco
Matias do Nascimento (Chico Matias), assessor de Assuntos Político do
governo Mercial, apresentou os pedidos de registros e os mesmos não
estavam de acordo com as normas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),
conforme Resolução nº 23.373 de 14/12/2011.
Segundo a resolução o pedido de registro
deverá ser apresentado obrigatoriamente em meio magnético gerado pelo
Sistema de Candidaturas – Módulo Externo (CANDex), desenvolvido pelo
Tribunal Superior Eleitoral, acompanhado das vias impressas dos
formulários Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) [Ver modelo]
e Requerimento de Registro de Candidatura (RRC), emitidos pelo sistema e
assinados pelos requerentes, regras despercebida por Matias.
A notícia sobre o não registro da Coligação ‘Grajaú Feliz’ e a hipótese
do candidato apoiado pelo prefeito Mercial Lima de Arruda, ser
prejudicado e não poder disputar mais as eleições municipais espalharam
por toda a cidade, causando tristeza e indignação por parte dos
pré-candidatos a vereadores, correligionários e simpatizantes de João
Pedro.
No dia seguinte, (6) de junho, advogados de São Luís e da coligação em
Grajaú que também são advogados da Prefeitura Municipal [Sueli e
Gideoni] resolverão o problema causado por Chico Matias que segundo o
Blog do Tony Rios Notícias foi responsabilizado pelos entraves. Os
registros foram requeridos, atendo o prazo de 48 horas previsto na lei.
Quais seriam os entraves

Segundo o artigo 23 da resolução n°
23.373, se o partido político ou a coligação não requerer o registro de
seus candidatos no último dia estipulado, estes poderão fazê-lo,
individualmente, no prazo máximo de 48 horas seguintes à publicação da
lista dos candidatos pelo Juízo Eleitoral competente para receber e
processar os pedidos de registro, apresentando o formulário Requerimento
de Registro de Candidatura Individual (RRCI).
Levando em conta essa informação, as interpretações e comentários na
cidade, à coligação ‘Grajaú Feliz’ não poderia juntar os partidos [PMDB,
PRP, PV, PMN, PPS, PSC e DEM] que formam a base de apoio do candidato
João Pedro, ficando ‘cada um por si e Deus por todos’, como diz o ditado
popular. Além do mais, o vice-prefeito Antonio Matias do Nascimento não
poderia concorrer como vice na chapa de João Pedro, candidato pelo
Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), já que pertence ao
Partido da Mobilização Nacional (PMN) e os mesmo não estariam coligados
para tal fim.
Foram realmente momentos de muita agonia e infelicidade, nos informou
um dos candidatos a vereadores pela coligação. Comentários diversos
dizem que Chico Matias só não foi chamado de santo e que o líder maior
Mercial Lima de Arruda que estava em São Luís, classificou o incidente
de pura incompetência, opinião compartilhada por muitos. Várias
estratégias já estavam sendo pensada para amenizar a situação, uma delas
seria a escolha dos cinco melhores nomes para o cargo no legislativo na
lista de 54 pré-candidatos a vereadores da coligação, os nomes seriam
trabalhados por todo o grupo político.
Outro fato interessante foi que nestes
dias de sufoco, o QG do grupo de João Pedro, foi na casa do vereador
José Jairo Sousa da Silva (PMDB) aliado político e candidato a reeleição
pela coligação, mas que nos últimos meses vinha tecendo bastantes
comentários e denunciando as ações dos secretários de saúde, obras e
educação. É como diz o ditado popular “Se não pode vencê-los, junte-se a
eles”, foi o que aconteceu. Fomos informados que foi o vereador Jairo
que descobrir o descuido de Chico Matias e procurou resposta já que
estava preste a ser prejudicado. Com isso todo o grupo tomou
conhecimento e as providencias foram tomadas.
O que falou os aliados

Na noite da quinta-feira, o presidente do PMDB no município e candidato
a vereador Neto Carvalho externou sua indignação diante do fato ao
vereador Clesiomar Viana. Disse que não sabia o que fazer, e que o grupo
foi mal assessorado.
O recém aliado, ex-prefeito Milton
Gomes, lamentou o ocorrido que poderia prejudicar sua filha Elizabeth
Nogueira, única candidata a vereadora pelo Partido Verde (PV). O não
registro da coligação proporcional ‘Grajaú Feliz 1’ que agrega o PV,
PMDB e PRP, tornaria a disputa eleitoral ainda mais difícil para
Nogueira. Nessas condições, ela teria que conseguir 2.200 votos para ser
eleita.
Candidatos a vereadores já contava com a possibilidade de não ser
preciso subir no palanque de João Pedro, sendo que os mesmos não seriam
obrigados a isso pelo fato de não ter a coligação. Outros disseram que
pelos menos, seus votos não serviriam para eleger candidatos do grupo
que os colocam em desvantagem devida sua estrutura financeira e apoio de
algumas secretarias municipais.
E a oposição

A notícia sobre o não registro das candidaturas da coligação ‘Grajaú
Feliz’ foi recebida com muita alegria pelos correligionários do grupo do
Capitão Otsuka e Simone Limeira que acabava de se unir na manhã de
sexta-feira (6). Música e muitos fogos quando o vereador Porfírio Santos
Vieira (Neto do Alto Brasil) disse que um funcionário do Cartório
Eleitoral teria lhe informado por telefone que a candidatura de João
Pedro teria sido indeferida.
O vereador Marinaldo Alexandre da Silva (Marinaldo do Gesso) falou em
seu discurso que o ocorrido era apenas reflexo da despreparação dos que
fazem o atual governo e que a justiça estava fazendo o seu papel em
barra um candidato ficha suja. Já o advogado e candidato a vice-prefeito
na chapa de Otsuka, Abmael Gomes Neto, disse que a batalha começou e
que tudo fará para impugnar a candidatura de João Pedro conforme os
rigores da lei.
O que disse João Pedro
Segundo o blog do Tony Rios Notícias, o
candidato do PMDB disse não está surpreso com os boatos de que ele não
seria candidato, pois esta foi e será a maneira que os adversários
políticos irão usar para denegri-lo, mas que o tempo irá mostrar quem
está mentindo.
Correligionários informaram ao Grajaú de Fato que João Pedro teria dito
que não espera o incidente causado por Chico Matias. Disse que o fato
causou danos irreparáveis a sua campanha eleitoral, pois transmitiu um
sentimento de incertezas aos eleitores. Falou que confiou no trabalho do
representante da coligação que havia garantindo a conclusão dos
registros.
Entenda sobre o registro de candidatura. Veja a Resolução do TER Nº 23.373, páginas 8 a 16. Clique aqui.

Confira fotos da Convenção Partidária de João Pedro. Clique aqui

Acesse: http://grajaudefato.com.br