Dois empresários responsáveis pelo fornecimento de internet em Grajaú já começaram a corrida em busca da concessão de implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) que deve chegar ao município até o fim do ano, segundo o Governo Federal.
O projeto, desenvolvido pelo Governo Federal através da Telebrás, está previsto para ser implantado em 100 municípios do país até o fim do ano. O programa prevê em média a potência de 512 Kbps [unidade de transmissão de dados igual a 1.000 bits por segundo] por usuário, com a finalidade de suprir a média nacional que é de 128 Kbps. Com essa média, o Governo quer se igualar a outros países que tem internet superior. Grajaú foi um dos seis municípios maranhenses escolhidos: Porto Franco, Barra do Corda, Passo do Lumiar, Presidente Dutra e Imperatriz.
Segundo a Telebrás, os provedores existentes ou a serem criados nas cidades contempladas terão que calcular se há interesse em prestar acesso a Internet via rede pública com base nas premissas do PNBL, ou seja, de que o preço do Mbps [unidade de transmissão de dados equivalente a 1.000 kilobits por segundo ou 1.000.000 bits por segundo ] no atacado será de R$ 230 e o valor a ser cobrado dos assinantes, por conexões de, pelo menos, 512 kbps, não passe de R$ 35.
A Telebrás pretende adotar o padrão de oferta de 1 para 10, ou seja, aquele que prevê que o megabit seja dividido, no máximo, por 10 clientes. “O mercado pratica um padrão de 1 para 16 ou até 1 para 35. Isso quer dizer que os 512 kbps no padrão 1 para 10 terá performance até melhor do que 1 Mbps no padrão 1 para 35”, afirmou o presidente da Telebrás Rogério Santanna.
Sobre a extensão do Plano, o chefe de gabinete da Prefeitura de Grajaú, Antônio Caetano da Silva, afirmou que “a internet de banda larga em Grajaú faz parte de um esforço do prefeito Mercial Lima de Arruda, junto aos Ministério das Comunicações”. O projeto, no entanto, é desenvolvido exclusivamente entre Telebrás e provedores locais e regionais interessados em desenvolver o sistema de banda larga.

Do município de Grajaú dois empresários concorrem à concessão. Epitácio Fontenele Viana Júnior, dono da empresa Infostore, atua na área de internet desde 2003. Atualmente ele tem 54 clientes, entre eles a Acredinorte Móveis, a ABC Gráfica, os Cartórios, escritórios de advocacia, Promotoria de Justiça. Seu link tem 512 Kbps, fornecido pela operadora Oi.

“A infostore tem interesse de fornecer o serviço de internet banda larga em Grajaú, por isso fizemos o cadastro solicitando 15 Mbps para atender 500 usuários, mas acreditamos que no início o governo irá liberar uns 5 Mbps”, disse Júnior.

Júnior relatou também que segundo os engenheiros da empresa telefônica Oi, Grajaú não tem internet de qualidade por falta de interesse do poder público, falta de estrutura e demanda na cidade. Ele citou Barra do Corda como modelo a ser seguido. “A Barra tinha uma internet pior que a de Grajaú, mas com o interesse e empenho dos deputados Rigo Teles e Tatá Milhomem, hoje a cidade tem internet de qualidade”.

Leia mais: http://grajaudefato.com.br