Relatório divulgado pela CGU (Corregedoria Geral da União) nesta sexta-feira (4) mostra que, em apenas dois meses do governo da presidente Dilma Rousseff, 53 servidores já foram expulsos de seus cargos por conta de irregularidades. No ano passado, no mesmo período, 60 funcionários perderam seus cargos pelos mesmos motivos.

No acumulado dos últimos oito anos, 3.022 servidores foram expulsos da administração pública federal por envolvimento em práticas ilícitas. No total, 2.589 foram demitidos, 252 foram destituídos de cargos em comissão e 181 tiveram aposentadorias cassadas.

O principal motivo das expulsões nos últimos oito anos foi valer-se do cargo para obtenção de vantagens, respondendo por 1.604 casos, o que representa 33,17% do total. A improbidade administrativa vem a seguir, com 959 casos (19,83%) e as situações de recebimento de propina somaram 294 casos (6,08%).
Confira também

Os dados constam do último levantamento realizado pela CGU, que consolida as informações sobre demissões, destituições de cargos comissionados e cassações de aposentadorias aplicadas a servidores públicos do Poder Executivo Federal.