O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, já começou a dialogar com lideranças de comunidades indígenas dos municípios de Grajaú, Barra do Corda e Santa Inês. A discussão teve como mote a ampliação do alcance das políticas públicas sociais a essas comunidades e de ações de impacto no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

A prioridade inicial do Governo será a qualificação das informações concedidas por esse público ao Cadastro Único (CadÚnico), que é o banco de dados que permite aos brasileiros o acesso a programas federais. O detalhamento e a precisão desses dados são fundamentais para a inclusão das famílias indígenas em programas sociais das diversas esferas de governo.

“As nossas ações vão alcançar as comunidades indígenas. Para isso, iremos utilizar o Fundo Maranhense de Combate a Pobreza (Fumacop) e incluir essas comunidades como beneficiários de nossos projetos de governo, a exemplo das ações do Programa ‘Mais IDH’. O foco é garantir um salto efetivo na qualidade de vida dos maranhenses, esse é um compromisso do governo Flávio Dino”, explicou o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista.

Com a efetivação desse cadastramento, o grau de vulnerabilidade social desse segmento populacional poderá ser identificado e reduzido. “É necessário que se tenha mais detalhes sobre as comunidades indígenas maranhenses e, no CadÚnico, sejam concedidos os corretos benefícios de transferência e complementação de renda a essas famílias”, destacou a secretária-adjunta de Renda e Cidadania, Ana Gabriela Borges, responsável pela coordenação estadual do Programa Bolsa Família.

Participaram da reunião a assessora especial do Estado, Simone Limeira; a secretária de Assuntos Indígenas do município de Grajaú, Edinaria Bento; os vereadores de Grajaú Alessandra Bento de Almeida e Telmiston Carvalho; representantes de associações indígenas; e outras lideranças dos municípios de Barra do Corda, Grajaú e Santa Inês.