Seis pelotões já estão prontos para o fuzilamento


Seis pelotões de fuzilamento já estão prontos para executar as penas de morte a que foram condenados um brasileiro e mais cinco pessoas na Indonésia, segundo afirmou o procurador Muhammad Prasetyo ao jornal Kompas. Eles já foram levados para a penitenciária de Nusakambangan, onde serão mortos, na ilha de Java, às 15h, horário brasileiro. 

O brasileiro Marco Archer, que foi preso por tráfico, recebeu nesta manhã a última visita da família, além de atendimento religioso. De acordo com o clérigo Hasan Makarim, Archer está pronto para a execução. 

Também deverão ser executados o malaio Namaona Denis, o holandês Ang Kiem Soei, a indonésia Rani Andriani, e o nigeriano Daniel Enemuo. A vietnamita Tran Thi Bich Hanh será executada em Boyolali, também em Java Central. 

Marco foi preso ao tentar entrar na Indonésia, em 2004, com 13 quilos de cocaína escondidos dentro de uma asa delta. A droga, porém, foi descoberta pelo raio-x do Aeroporto Internacional de Jacarta. Apesar de fugir do aeroporto, Marco foi preso após duas semanas de buscas. 

Para tentar evitar a execução da pena, a presidente Dilma ligou para o presidente da Indonésia, mas o apelo foi rejeitado. Segundo o Itamaraty, os esforços da diplomacia prosseguem, apesar da recusa. Se o pedido de clemência não for aceito, Archer será o primeiro brasileiro submetido à pena de morte por um Estado estrangeiro.