98 pessoas morreram atingidas por raios no Brasil no ano passado, ou seja, um a menos com relação ao ano anterior, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O Maranhão foi o segundo estado com maior número de registros (16), atrás apenas de São Paulo, onde 17 pessoas morreram.

Os registros contam no levantamento do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Inpe, baseado em informações da imprensa, da Defesa Civil e do Ministério da Saúde.

Além de São Paulo e Maranhão, os raios mataram também nos estados do Piauí, com 7 casos; no Amazonas (6); e, no Pará (6). Os números de São Paulo se destacam pelas mortes que ocorreram no segundo semestre do ano passado: em 7 de novembro morreram três moradores de rua, atingidos simultaneamente por um raio; e em 29 de dezembro, quatro banhistas receberam descarga atmosférica em Praia Grande, no litoral.

As cidades que tiveram maior número de vítimas em 2014 foram: São Paulo, com cinco; Praia Grande, no litoral paulista, quatro vítimas; Pauini, no Amazonas, Wanderley, na Bahia, e Igarapé Grande, no Maranhão, com duas vítimas, cada. Entre as vítimas, 56% viviam na zona rural.