Por
volta das 8h30 da manhã deste domingo, 1º de setembro, Francisco das
Chagas Nouga, raptou a própria filha, Rebeca Batista da Silva Nouga, 10
anos, quando a menina ia para a catequese na Igreja Nosso Senhor do
Bonfim (Catedral) em Grajaú.
A
mãe, Valdilene Batista da Silva, que é separada de Francisco desde
2006, veio à redação do Grajaú de Fato fazer a denúncia, desesperada,
porque não é a primeira vez que o pai rapta a filha. “Quando ela tinha
apenas quatro anos eu a levei para passar as férias com ele em Brasília,
onde ele morava. Eu ainda não tinha a guarda dela, mas era para ser um
mês e ele sumiu com ela por dois meses. A segunda vez foi em fevereiro
de 2009 e eu já tinha a guarda da Rebeca e ele sumiu com ela por três
anos”, conta.
Rebeca
foi encontrada pela mãe em Mossoró (RN), em fevereiro de 2012 e a
menina já estava com oito anos de idade. Valdilene teme que a mesma
história possa estar se repetindo hoje. “Tenho medo de ele ter sumido
com ela novamente. Estou à procura desde cedo, quando eu soube que ele a
levou e até agora não tenho notícias. O pior é que eu não tenho nenhum
contato dele”, lamenta. Rebeca foi para a catequese com uma amiga da
mesma idade que só contou à família o ocorrido quando chegou em casa,
por volta das 11h.
Valdilene
foi à Delegacia de Grajaú registrar queixa, mas, segundo ela, a Polícia
disse que ela mesmo, neste momento, deve procurar pela filha. Francisco
das Chagas não era visto desde o dia 1º de abril, quando ele foi ver a
filha na casa da mãe de Valdilene. Sem a guarda da filha, Francisco só
poderia vê-la a cada 15 dias e no período de férias.
Quem tiver informações do paradeiro de Rebeca, favor entrar em contato através dos telefones:
Valdilene (mãe)
(99) 9139-0561 (Vivo)
(99) 8107-7061 (Tim)
(99) 8475-5730 (Claro)
Maria Divina (tia)
(99) 9189-7357 (Vivo)
Gilvânia (Madrinha)
(99) 9194-9736 (Vivo)