Senadores elegeram neste domingo Renan Calheiros (PMDB-AL) para presidente do Senado e do Congresso Nacional, em uma disputa mais acirrada que de costume, mantendo a tradição de chancelar o nome proposto pela maior bancada na Casa.

Indicado após decisão da maioria de sua bancada na sexta-feira, Renan disputava o posto com o senador Luiz Henrique (PMDB-SC), que lançou candidatura avulsa sem a anuência da bancada.

“O PMDB… que garante a estabilidade, também trabalhará pela estabilidade econômica, como fiador do modelo democrático o partido atua para o equilíbrio do poder e repele qualquer pendor hegemônico onde quer que ele esteja camuflado”, disse Renan após a proclamação do resultado da eleição.

Por 49 votos a 31, o senador alagoano foi reconduzido à presidência do Senado e consequentemente
do Congresso Nacional por mais dois anos.

Renan ocupa a presidência desde 2013 e elegeu-se com o apoio da bancada do PT, enquanto a candidatura de Luiz Henrique recebeu adesões de partidos da oposição e integrantes da base do governo com atuação mais independente.

A ideia inicial de Renan era que os dois nomes disputassem internamente a indicação da bancada, mas Luiz Henrique insistiu que sua candidatura era “irreversível” e suprapartidária.

Com Portal Terra