Depois de observar metade da Câmara de Vereadores de Grajaú apoiar o ex-secretário de Educação José Jairo (PMDB), para a disputa da presidência da casa, a oposição não ficou parada e logo encontrou uma solução para barrar a vitória de Jairo na corrida. O vereador Marinaldo do Gesso (PT) destacou que a Câmara precisa ser independente e por isso não apoia Jairo. “Nosso compromisso é com o povo de Grajaú, para isso, precisamos de uma Câmara independente”. Marinaldo e mais três vereadores: Clesiomar Viana, Neto do Alto Brasil e Sebastião do Remanso, apoiaram nesta terça-feira, 23, a candidatura do líder do governo na Câmara, Evandro Costa Jorge (PV) para disputar o cargo mais alto da casa. Se eleito, Evandro Jorge será presidente da Câmara de Grajaú pela terceira vez. O acordo de apoio foi registrado em cartório pelos parlamentares Marinaldo do Gesso, que deverá assumir a função de vice-presidente; Clesiomar Viana, que será o primeiro secretário e o professor Neto do Alto Brasil que poderá ser o segundo secretário.

O acordo entre a oposição a Mercial tem por objetivo inviabilizar a candidatura do Jairo, que deixou a Secretaria de Educação do Município para assumir a presidência da Câmara para ampliar a força do governo no poder legislativo. Para derrotar Jairo, a única solução encontrada pela oposição foi lançar uma candidatura do próprio governo. “Ter Jairo como presidente seria um atraso para Grajaú, pois a Câmara se tornaria uma secretaria do governo Mercial”, afirmou o atual presidente, Clesiomar Viana, referindo-se ao acordo com Evandro Jorge, que por sua vez se comprometeu em tornar a Câmara independente, voltada para as causas do povo e desenvolvimento de Grajaú.

Para José Jairo, que contava com uma vitória certa desde que saiu da Secretaria de Educação, a decisão da oposição foi uma apunhalada pelas costas. Isso porque em apenas dois dias, (segunda e terça-feira, dias 22 e 23) a oposição aproveitou uma viagem que Jairo fez a São Paulo -, para organizar a candidatura de Evandro Jorge. “Fiquei surpreso com a postura do vereador Evandro Jorge ao se candidatar à presidência do legislativo por mais um mandato; até porque tínhamos um compromisso, por isso deixei a pasta da Educação e retornei a Câmara, para dar continuidade a um trabalho a serviço do povo e pelo povo como sempre tenho feito como homem público e como cidadão grajauense”, disse Jairo ao Grajaú de Fato.

O parlamentar disse ainda que é “lamentável” a postura da oposição. “Penso que isso descaracteriza um grupo político e revela interesses particulares e os fatos mostram a falta de compromisso com um trabalho em prol do desenvolvimento do município de Grajaú”.

Sobre a possibilidade de retornar à Secretaria Municipal de Educação ou continuar na Câmara Municipal, Jairo sublinhou que não tem nada certo. Frisou que vai avaliar e discutir melhor a conjuntura que se formou nesses dois dias. “Até segunda-feira, 22, meu nome era consenso do grupo ao qual Evandro Jorge apoiava. Até uma manifestação de apoio foi elaborada com a ajuda dele para firmar esse compromisso”, destacou José Jairo fazendo memória à manifestação de apoio assinada pelos vereadores Evandro Jorge, José Arão, José Leão, Remilson Sousa, Telmiston Pereira e ele próprio.

Ainda sobre a Secretaria Municipal de Educação, ele afirmou que a professora Lúcia Chaves vai assumir o cargo interinamente e que somente o prefeito Mercial tomará outras decisões futuramente sobre a pasta.

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTÍCIA. CLIQUE AQUI