A operadora de telefonia mais utilizada em Grajaú deixou seus usuários na mão desde o início da tarde de quarta-feira (13). No município não é possível utilizar aparelhos celulares com linhas da operadora por falta de sinal. Quem precisa falar com um amigo, um familiar ou resolver problemas de negócios ou de trabalho, tem que se deslocar até o seu objetivo, pois não consegue se comunicar por dispositivos móveis. Menos ainda via internet.

Pelas redes sociais, os usuários da operadora têm protestado, como é o caso do vereador Arão Marizê Lopes, que em sua página pessoal no Facebook, não se conteve. “Vivo da peste tu quer me matar… mas eu te mato com um processo miséria!”, declarou. Outros membros das redes também expressaram sua indignação. “Vamos processar mesmo; Isto não se admite; Direito de comunicação seciado; Falta de respeito”, disse Vanderley Melo. Poliana Silva Albuquerque complementou. “Também vou fazer assim, matar ela com um processo”.

Veja as discussões dos usuários da vivo. Clique aqui

Segundo a Superintendência de Proteção ao Consumidor (Procon), a Vivo é uma das operadoras mais recebem reclamações por parte dos clientes e ocupa o terceiro lugar no ranking de reclamações e processos, seguida pela Tim e outras operadoras. A Oi ocupa o primeiro lugar e a Claro o segundo.

Para o policial militar Frank Zane Silva Gomes não adianta ingressar na justiça contra os serviços. “Muita gente já colocou a vivo na justiça tempos atrás, e o juiz em Grajaú arquiviou todos os processos”, comentou.

Segundo a advogada Gildeone Melo, o processo deve ser coletivo “…um colega entrou com algumas ações individuais, sequer foram recebidas. O Ministério Público e magistrado foram claros: trata-se de ação que atende a coletividade, sendo que a legitimidade não é individual. Ademais, em processo anterior ficou demonstrado que a competência é da Justiça federal em atenção à defesa da Anatel”, informou.

O vereador Arão disse que vai convidar os colegas parlamentares para promover uma audiência pública e convocar os responsáveis pela empresa em Grajaú. “Isso não impede que os clientes movam as ações contra a Vivo; Eu não vou perdoar; vou fazer a minha parte”.

Em junho de 2011, durante audiência pública promovida pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), representantes da Vivo e da TIM assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços prestados no município de Grajaú. Na acasião estavam presentes os diretores da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e do Procon/MA, os juízes da Comarca de Grajaú, o prefeito municipal Mercial Lima de Arruda e os vereadores da então Câmara Municipal.

Leia mais: Ministério Público discute TAC para melhorar serviços de telefonia celular em Grajaú

Comentários

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.