Continua, entre Grajaú e Barra do Corda, na Reserva Indígena Canabrava, os constantes assaltos praticados por indígenas na BR-226. O período entre um assalto e outro tem ficado mais curto e os roubos, mais audaciosos. Os assaltos mais freqüentes são praticados em comboios de caminhoneiros.

Os índios, salvaguardados por uma brecha na lei que impede a Polícia Militar de entrar nas aldeias, por tratar-se de área federal, levam o que encontram pela frente: dinheiro, celulares, relógios, bolsas com roupas, cordões de ouro.

A polícia de Grajaú e Barra do Corda faz investidas conjuntas nos dois sentidos da estrada federal, mas ainda não conseguiu prender suspeitos. Já existem 10 mandados de prisões contra indígenas, mas prevalece a dificuldade no acesso à reserva.

Alguns índios já foram presos e outros já estão em liberdade. Os caminhoneiros registram diariamente ocorrências tanto em Barra do Corda como em Grajaú. Na foto, tirada por Francisco Matias, indígenas cobram pedágio entre Grajaú e Barra do Corda Texto: Fúlvio Costa

Acessem também nosso site e confira mais notícias http://grajaudefato.com.br