A implantação do projeto vai viabilizar o desenvolvimento do pólo gesseiro que já existe em Grajaú

Grajaú pode ganhar seu Pólo Industrial em pouco tempo. Ontem à noite, 5, o senador Edison Lobão Filho, discutiu com o Secretário de Estado de Indústria e Comércio do Maranhão, Júlio Noronha, a proposta de instalação do Pólo Gesseiro do Maranhão no município de Grajaú. Lobão Filho procurou Júlio Noronha para reforçar seu apoio ao projeto e assumiu a doação de 6.000m2 de terras de propriedade da família Sarney na região, para instalar o Distrito Industrial que deve ficar localizado a 8 km da zona urbana de Grajaú.

Lobão Filho destacou, entre outros, que “a doação pode ser feita à prefeitura, mas acredito que o Governo do Estado tenha mais condições de garantir a infra-estrutura do projeto”.

A implantação do projeto vai viabilizar o desenvolvimento do pólo gesseiro que já existe em Grajaú, atualmente com cerca de 55 empresas com uma produção anual de 250 mil toneladas de gesso. Com o Pólo Industrial instalado, essa produção pode chegar a produzir, a princípio, 1 tonelada de gesso, chegando a se aproximar do maior pólo gesseiro do Brasil que fica em Araripe (PE). Com o projeto implantado, cerca de quatro mil empregos diretos e 22.500 indiretos poderão ser gerados.

O governo do Maranhão já deu sinal verde para a implantação do Pólo, e estuda políticas de incentivo fiscal e um programa para qualificar profissionais.

Posição de Vantagens

Grajaú que se localiza na meso-região centro-sul do Maranhão assume posição de destaque para a instalação do Pólo Gesseiro do Maranhão, por abrigar a principal existência de gipsita (Mineral sulfato de cálcio hidratado: CaSO4, matéria – prima do gesso), e por estar próximo da cidade de Porto Franco, por onde pode vazar a produção pela estrada Belém-Brasília, ou pela Ferrovia Norte e Sul.